Português

Dicas do Luthier Lineu Bravo para conservar seu instrumento e acessórios

dez_-03

Quem é músico profissional sabe todas as vantagens de se tocar um instrumento musical bem conservado.

Independentemente da sua especialidade, o instrumento requer muito cuidado, e não somente no que diz respeito à afinação, mas também outros fatores como compartimentação, limpeza e modo de transportar.

 

Confira algumas dicas para conservar melhor seu instrumento e acessórios

 

 

Case do instrumento musical

Jamais deixe de guardá-lo na case própria, acolchoada ou aveludada. Cordas, por exemplo, são extremamente suscetíveis às variações climáticas e umidade, que não só as desafinam, como oxidam.

 

O luthier Lineu Bravo alerta para a importância da conservação da case do violão em ambientes úmidos: “Dica importante para vocês! Para quem mora no litoral ou em lugares mais úmidos, ao menos uma vez por mês, deixe o case do seu instrumento aberto no sol por uns quinze minutos para não mofar!”.

 

Transporte  

O músico deve zelar pelo transporte do seu material de trabalho. Além das cases, é imprescindível que os instrumentos sejam transportados em locais apropriados, que não os sujeitem a quedas.

 

Nas viagens de avião, por exemplo, baterias com mais 32 quilos devem ser despachadas anteriormente para serem transportadas no porão. Já violões e violinos podem ser levados como bagagem de mão, desde que caibam no compartimento de malas.

 

Limpeza

A limpeza do instrumento musical é a parte mais delicada do processo de conservação, uma vez que aplicado o produto errado na superfície, as características de som tendem a ser alteradas.

 

Para os instrumentos de cordas, a flanelas secas ou pouco úmidas são ideais para se passar na madeira e entre as cordas a fim de eliminar a poeira e outros resíduos.

Guitarras e violões devem ficar em suportes do tipo tripé, e não encostadas em algum canto da parede sob o risco de quedas que, com o passar do tempo, tendem a danificar a caixa e o braço do instrumento.

 

MAIS DICAS DE LINEU SOBRE CONSERVAÇÃO DE INSTRUMENTOS

 

 

Fonte: Música Mais

 

 

Sobre Lineu Bravo

Lineu Bravo é luthier autodidata, apreciador de boa música. Desde cedo, desenvolveu intimidade com a madeira na marcenaria do pai. Construiu o primeiro instrumento aos 14. Desde então, seus violões, cavacos, bandolins e violas têm ido parar nas mãos de grandes músicos. Guinga, Zélia Duncan, Marcus Tardelli, Marco Pereira, João Bosco, Yamandú Costa, Chico Buarque, Ulisses Rocha, Hamilton de Holanda, Ângela Muner, Rogério Caetano, Mauricio Carrilho, Luciana Rabello, João Lyra, Mauricio Marques, Edson Lopes, Alessandro Penezzi, Juarez Moreira, Fernando César, Jayme Vignoli, Flávio Apro, Giacomo Bartoloni, Swami Jr, Rosa Passos, Ana Carolina, Zé Paulo Becker, Douglas Lora e todos os integrantes do Quarteto Maogani são alguns deles.

Informações

A oficina de Lineu Bravo Luthier está localizada em Taubaté, na região do Vale do Paraíba, a 130 quilômetros de São Paulo.

Informações: lineu@lineubravo.com.br

 

No Dia do Músico, comemorado em 22/11, confira algumas curiosidades sobre o poder da música

A música tem poderes incontestáveis tanto na vida das pessoas, como na cultura de uma nação

77390165_2724257197641685_2925993246888820736_o

A música tem poderes incontestáveis tanto na vida das pessoas, como na cultura de uma nação. Por meio dela, nos expressamos, entendemos, contestamos e divertimos.

Pesquisadores estudam esses efeitos e comprovam que a música pode mudar nosso humor, inteligência, desempenho físico e até a memória.

 

Confira algumas curiosidades sobre o poder da música:

 

Efeitos no desempenho

Pesquisadores da Universidade Chemnitz e da Universidade de Erfurt, na Alemanha, comprovaram que, durante a leitura, ouvir música de fundo pode afetar a compreensão. Na prática de atividades físicas e em reações emocionais, os impactos da música são muito positivos.

 

 

Efeitos no comportamento

Ao testar os efeitos da música no comportamento das pessoas e, especialmente, em suas condutas sociais positivas, pesquisadores da Universidade de Sussex, no Reino Unido, descobriram que ouvir músicas com letras socialmente positivas aumentaram a disposição de ajuda nos ouvintes.

 

Aumento da inteligência

Em um experimento com 144 crianças, pesquisadores da Universidade de Toronto, no Canadá, concluíram que as crianças que participaram de grupos com aulas de música exibiram aumentos de QI e melhor desempenho acadêmico. Outras pesquisas também mostraram que o cérebro de músicos é desenvolvido de tal forma que os deixam mais alertas e dispostos a aprender.

 

 

Relaxamento

Uma pesquisa da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, testou os efeitos da música clássica, pop e jazz no relaxamento das pessoas depois de eventos estressantes. Os resultados mostraram que ouvir música pop e jazz tem o mesmo efeito restaurativo que o silêncio. Já a música clássica fez efeitos muito mais rápidos e a pressão sanguínea pode cair para os níveis normais em tempo muito menor.

 

Confira outras curiosidades, aqui: http://bit.ly/curiosidadesmusica

 

 

 

Sobre Lineu Bravo

Lineu Bravo é luthier autodidata, apreciador de boa música. Desde cedo, desenvolveu intimidade com a madeira na marcenaria do pai. Construiu o primeiro instrumento aos 14. Desde então, seus violões, cavacos, bandolins e violas têm ido parar nas mãos de grandes músicos. Guinga, Zélia Duncan, Marcus Tardelli, Marco Pereira, João Bosco, Yamandú Costa, Chico Buarque, Ulisses Rocha, Hamilton de Holanda, Ângela Muner, Rogério Caetano, Mauricio Carrilho, Luciana Rabello, João Lyra, Mauricio Marques, Edson Lopes, Alessandro Penezzi, Juarez Moreira, Fernando César, Jayme Vignoli, Flávio Apro, Giacomo Bartoloni, Swami Jr, Rosa Passos, Ana Carolina, Zé Paulo Becker, Douglas Lora e todos os integrantes do Quarteto Maogani são alguns deles.

Informações

A oficina de Lineu Bravo Luthier está localizada em Taubaté, na região do Vale do Paraíba, a 130 quilômetros de São Paulo.

Informações: lineu@lineubravo.com.br

 

 

 

 

Franco Galvão e o violão Lineu Bravo

O músico conheceu o trabalho do luthier através do contato que teve com os professores e músicos da Escola Portátil de Choro do Rio de Janeiro

 

Foto: Paula Poltronix

Foto: Paula Poltronix

Franco Galvão, que adquiriu o violão Lineu Bravo em 2015, conheceu o trabalho do luthier através do contato que teve com os professores e músicos da Escola Portátil de Choro do Rio de Janeiro. Depois, foi se dando conta de que João Bosco, Guinga, Marco Pereira e outras figuras importantes também tinham o violão de Lineu.

Franco deixou um depoimento sobre seu violão construído pelo luthier Lineu Bravo:

“O violão do Lineu é um arraso! Estava gravando no Rainbow Studio, um dos estúdios mais incríveis do mundo para jazz e música instrumental, e o técnico de som elogiou muito o violão, dizendo que o violão tinha uma quantidade incrível de informações no registro grave. Ele definiu o violão como um instrumento de altíssimo nível! E olha que ele estava ouvindo o som do violão passando por um microfone Sony de 12 mil dólares e por um equipamento de processamento de som que custa o valor de uma casa, ou seja, dava para ter certeza que o som é bom mesmo!”

 

Sobre a carreira de Franco Galvão

Franco Galvão foi ritmista e, posteriormente, mestre do grupo de percussão Bateria Alcalina entre 2009 e 2013, e desde 2009 é ritmista e membro do Bloco Cultural União Altaneira. Também já oi ritmista da bateria da Escola de Samba Grêmio Recreativo Nenê de Vila Matilde;

Já gravou violão em diversos trabalhos, entre eles Eu sou Sinhá, de Sinhá Rosária, e Peço Licença, de Ivone Cerqueira.

Em 2014, foi premiado em terceiro lugar pelo Prêmio Nabor Pires, acompanhando o bandolinista André Ribeiro. E em 2014 e 2015, como produtor cultural, idealizou e realizou o VII Encontro de Choro da Unicamp e o 1º Encontro de Choro de Campinas, eventos de oito dias de duração com aulas práticas, teóricas e apresentações musicais, em que participaram Nailor Proveta, Antonio Carrasqueira, Monica Salmaso, Mauricio Carrilho, Paulo Aragão. Em 2019, gravou o CD Espera, em parceria com Fernando Sagawa.
Em paralelo à carreira de músico, Franco Galvão é graduado e mestre em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Campinas.

 

Sobre Lineu Bravo

Lineu Bravo é luthier autodidata, apreciador de boa música. Desde cedo, desenvolveu intimidade com a madeira na marcenaria do pai. Construiu o primeiro instrumento aos 14. Desde então, seus violões, cavacos, bandolins e violas têm ido parar nas mãos de grandes músicos. Guinga, Zélia Duncan, Marcus Tardelli, Marco Pereira, João Bosco, Yamandú Costa, Chico Buarque, Ulisses Rocha, Hamilton de Holanda, Ângela Muner, Rogério Caetano, Mauricio Carrilho, Luciana Rabello, João Lyra, Mauricio Marques, Edson Lopes, Alessandro Penezzi, Juarez Moreira, Fernando César, Jayme Vignoli, Flávio Apro, Giacomo Bartoloni, Swami Jr, Rosa Passos, Ana Carolina, Zé Paulo Becker, Douglas Lora e todos os integrantes do Quarteto Maogani são alguns deles.

Informações

A oficina de Lineu Bravo Luthier está localizada em Taubaté, na região do Vale do Paraíba, a 130 quilômetros de São Paulo.

Informações: lineu@lineubravo.com.br

 

Confira depoimento de Ivan Melo sobre violão Lineu Bravo

Ivan relembrou o dia em que foi buscar seu violão no atelier do luthier Lineu Bravo, em 2016

65267056_447112232786001_7458643626506916863_n

O músico Ivan Melo, brasileiro estabelecido em Londres, e que recentemente lançou seu primeiro álbum chamado “Caboclo”, publicou uma antiga foto para relembrar o dia em que foi buscar seu violão no atelier do luthier Lineu Bravo, em 2016.

Ivan deixou um carinhoso depoimento sobre seu instrumento construído pelo luthier de Taubaté: “Para ser honesto, nunca achei que pudesse ter um violão do Lineu Bravo. Ele fez os instrumentos de grandes artistas brasileiros como Guinga, Marcus Tardelli e Yamandu Costa. Nos falamos pelo telefone e parecia que eu estava falando com um velho amigo. Apesar da sua longa lista de espera, ele construiu meu violão em tempo record.”

 

Sobre Ivan Melo

O violonista Ivan Melo nasceu no Brasil e, desde 2011, mora em Londres, onde já se apresentou em locais de prestígio, como as Paraolimpíadas de 2012, QueenElizabeth Hall e Richmond Theatre. Já fez parcerias com Iron Maiden e com o ganhador do Grammy Snarky Puppy. Atualmente, ele dá aulas de violão, compõe e faz apresentações solo e com o grupo Hans Prya. Tudo isso em companhia de um violão 7 cordas que o luthier Lineu Bravo construiu para ele em 2016.

 

Sobre Lineu Bravo

Lineu Bravo é luthier autodidata, apreciador de boa música. Desde cedo, desenvolveu intimidade com a madeira na marcenaria do pai. Construiu o primeiro instrumento aos 14. Desde então, seus violões, cavacos, bandolins e violas têm ido parar nas mãos de grandes músicos. Guinga, Zélia Duncan, Marcus Tardelli, Marco Pereira, João Bosco, Yamandú Costa, Chico Buarque, Ulisses Rocha, Hamilton de Holanda, Ângela Muner, Rogério Caetano, Mauricio Carrilho, Luciana Rabello, João Lyra, Mauricio Marques, Edson Lopes, Alessandro Penezzi, Juarez Moreira, Fernando César, Jayme Vignoli, Flávio Apro, Giacomo Bartoloni, Swami Jr, Rosa Passos, Kiko Loureiro, Arthur Nestrovsky, Ana Carolina, Zé Paulo Becker, Douglas Lora e todos os integrantes do Quarteto Maogani são alguns deles.

Informações

A oficina de Lineu Bravo Luthier está localizada em Taubaté, na região do Vale do Paraíba, a 130 quilômetros de São Paulo.

Informações: lineu@lineubravo.com.br