Português

Samuca Muniz e o violão Lineu Bravo

 

 

 

 

 

 

 

 

Samuca adquiriu seu violão Lineu Bravo no início do ano de 2011, e descobriu o trabalho do luthier através de um vídeo

2

 

Samuca Muniz, natural de São Sebastião-SP, é violonista, arranjador, compositor e mantenedor do canal do YouTube “Um Violão em apuros”. Sobre o instrumento construído pelo luthier Lineu Bravo, ele diz: “Esse violão meu quem fez foi o luthier Lineu Bravo, é uma obra de arte!”.

 

Samuca Diniz e o violão Lineu Bravo

 

Samuca9

Samuca adquiriu seu violão Lineu Bravo no início do ano de 2011, e descobriu o trabalho do luthier através de um vídeo que assistiu do amigo Rogério Caetano, no YouTube. “Pesquisei mais sobre o trabalho do Lineu, e acabei descobrindo que outros grandes músicos que eu admirava, tocavam em instrumentos feitos por ele como, por exemplo, Marco Pereira.”, conta Samuca.

O músico conta um episódio inusitado que aconteceu pouco tempo depois de ter adquirido o violão 7 cordas Lineu Bravo: “Aconteceu uma cena inusitada (pra época): no Festival de Música de Londrina do mesmo ano, eu e outros 2 violonistas (Lucas Telles e Léo Eymard) compartilhávamos da experiência de unirmos 3 violões do mesmo luthier. A sonoridade entre ambos era impecavelmente parecida, com aquele médio-grave reforçado, e com o som bem aveludado”.

Depoimento de Samuca Diniz sobre seu violão Lineu Bravo

 A primeira coisa que você nota quando vê alguém com um violão Lineu Bravo é a beleza do instrumento: o capricho, acabamento e coloração das madeiras. Mesmo após tantos anos de uso, quando eu abro o case do violão, ainda consigo sentir o aroma de sua madeira.

A característica que eu mais aprecio no som dos violões Lineu Bravo é o timbre aveludado e equilibrado, com uma perfeita definição das notas. Ele é excelente tanto para momentos solos quanto para acompanhamento. Constantemente sou questionado sobre o som do meu violão (se uso plugins, que tipo de microfonação utilizo, etc.). Quando isso acontece, sempre respondo: é apenas o timbre do meu violão.

Por estar constantemente gravando no meu canal do Youtube “Samuca Muniz”, aulas online ou em estúdios, vejo uma facilidade no momento da captação do som, pois não é necessário fazer praticamente nenhum grande ajuste na sonoridade dele.  Além disso, percebo diferença com relação aos outros instrumentos com os quais já gravei. O som do Lineu Bravo é sempre claro, preciso e equilibrado. É como se estivesse gravando o som de uma linda voz”.

Sobre a carreira de Samuca Muniz

Músico profissional desde 1999, já tocou com diversos nomes da música brasileira como, por exemplo, Humberto Araújo, Joel Nascimento, Jayme Vignoli, Nelson Sargento, Marquinhos Satan, Marquinhos PQD, Carla Casarim, Joyce Cândido (entre outros), além de grupos de Londrina (PR) e região, onde reside atualmente. Participou da gravação de cd´s de grupos de Música Brasileira. Foi colunista/colaborador sobre 7 cordas na revista digital “Violão +” por cerca de um ano e meio. Atualmente tem trabalhado com aulas online, além de ser o mantenedor do canal “Samuca Muniz” – antigo “Um violão em Apuros” (YouTube), com material para violão 6 e 7 cordas.

 

Sobre Lineu Bravo

Lineu Bravo é luthier autodidata, apreciador de boa música. Desde cedo, desenvolveu intimidade com a madeira na marcenaria do pai. Construiu o primeiro instrumento aos 14. Desde então, seus violões, cavacos, bandolins e violas têm ido parar nas mãos de grandes músicos. Guinga, Zélia Duncan, Marcus Tardelli, Marco Pereira, João Bosco, Yamandú Costa, Chico Buarque, Ulisses Rocha, Hamilton de Holanda, Ângela Muner, Rogério Caetano, Mauricio Carrilho, Luciana Rabello, João Lyra, Mauricio Marques, Edson Lopes, Alessandro Penezzi, Juarez Moreira, Fernando César, Jayme Vignoli, Flávio Apro, Giacomo Bartoloni, Swami Jr, Rosa Passos, Ana Carolina, Zé Paulo Becker, Douglas Lora e todos os integrantes do Quarteto Maogani são alguns deles.

Informações

A oficina de Lineu Bravo Luthier está localizada em Taubaté, na região do Vale do Paraíba, a 130 quilômetros de São Paulo.

Informações: lineu@lineubravo.com.br

Franco Galvão e o violão Lineu Bravo

O músico conheceu o trabalho do luthier através do contato que teve com os professores e músicos da Escola Portátil de Choro do Rio de Janeiro

 

Foto: Paula Poltronix

Foto: Paula Poltronix

Franco Galvão, que adquiriu o violão Lineu Bravo em 2015, conheceu o trabalho do luthier através do contato que teve com os professores e músicos da Escola Portátil de Choro do Rio de Janeiro. Depois, foi se dando conta de que João Bosco, Guinga, Marco Pereira e outras figuras importantes também tinham o violão de Lineu.

Franco deixou um depoimento sobre seu violão construído pelo luthier Lineu Bravo:

“O violão do Lineu é um arraso! Estava gravando no Rainbow Studio, um dos estúdios mais incríveis do mundo para jazz e música instrumental, e o técnico de som elogiou muito o violão, dizendo que o violão tinha uma quantidade incrível de informações no registro grave. Ele definiu o violão como um instrumento de altíssimo nível! E olha que ele estava ouvindo o som do violão passando por um microfone Sony de 12 mil dólares e por um equipamento de processamento de som que custa o valor de uma casa, ou seja, dava para ter certeza que o som é bom mesmo!”

 

Sobre a carreira de Franco Galvão

Franco Galvão foi ritmista e, posteriormente, mestre do grupo de percussão Bateria Alcalina entre 2009 e 2013, e desde 2009 é ritmista e membro do Bloco Cultural União Altaneira. Também já oi ritmista da bateria da Escola de Samba Grêmio Recreativo Nenê de Vila Matilde;

Já gravou violão em diversos trabalhos, entre eles Eu sou Sinhá, de Sinhá Rosária, e Peço Licença, de Ivone Cerqueira.

Em 2014, foi premiado em terceiro lugar pelo Prêmio Nabor Pires, acompanhando o bandolinista André Ribeiro. E em 2014 e 2015, como produtor cultural, idealizou e realizou o VII Encontro de Choro da Unicamp e o 1º Encontro de Choro de Campinas, eventos de oito dias de duração com aulas práticas, teóricas e apresentações musicais, em que participaram Nailor Proveta, Antonio Carrasqueira, Monica Salmaso, Mauricio Carrilho, Paulo Aragão. Em 2019, gravou o CD Espera, em parceria com Fernando Sagawa.
Em paralelo à carreira de músico, Franco Galvão é graduado e mestre em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Campinas.

 

Sobre Lineu Bravo

Lineu Bravo é luthier autodidata, apreciador de boa música. Desde cedo, desenvolveu intimidade com a madeira na marcenaria do pai. Construiu o primeiro instrumento aos 14. Desde então, seus violões, cavacos, bandolins e violas têm ido parar nas mãos de grandes músicos. Guinga, Zélia Duncan, Marcus Tardelli, Marco Pereira, João Bosco, Yamandú Costa, Chico Buarque, Ulisses Rocha, Hamilton de Holanda, Ângela Muner, Rogério Caetano, Mauricio Carrilho, Luciana Rabello, João Lyra, Mauricio Marques, Edson Lopes, Alessandro Penezzi, Juarez Moreira, Fernando César, Jayme Vignoli, Flávio Apro, Giacomo Bartoloni, Swami Jr, Rosa Passos, Ana Carolina, Zé Paulo Becker, Douglas Lora e todos os integrantes do Quarteto Maogani são alguns deles.

Informações

A oficina de Lineu Bravo Luthier está localizada em Taubaté, na região do Vale do Paraíba, a 130 quilômetros de São Paulo.

Informações: lineu@lineubravo.com.br

 

Confira depoimento de Ivan Melo sobre violão Lineu Bravo

Ivan relembrou o dia em que foi buscar seu violão no atelier do luthier Lineu Bravo, em 2016

65267056_447112232786001_7458643626506916863_n

O músico Ivan Melo, brasileiro estabelecido em Londres, e que recentemente lançou seu primeiro álbum chamado “Caboclo”, publicou uma antiga foto para relembrar o dia em que foi buscar seu violão no atelier do luthier Lineu Bravo, em 2016.

Ivan deixou um carinhoso depoimento sobre seu instrumento construído pelo luthier de Taubaté: “Para ser honesto, nunca achei que pudesse ter um violão do Lineu Bravo. Ele fez os instrumentos de grandes artistas brasileiros como Guinga, Marcus Tardelli e Yamandu Costa. Nos falamos pelo telefone e parecia que eu estava falando com um velho amigo. Apesar da sua longa lista de espera, ele construiu meu violão em tempo record.”

 

Sobre Ivan Melo

O violonista Ivan Melo nasceu no Brasil e, desde 2011, mora em Londres, onde já se apresentou em locais de prestígio, como as Paraolimpíadas de 2012, QueenElizabeth Hall e Richmond Theatre. Já fez parcerias com Iron Maiden e com o ganhador do Grammy Snarky Puppy. Atualmente, ele dá aulas de violão, compõe e faz apresentações solo e com o grupo Hans Prya. Tudo isso em companhia de um violão 7 cordas que o luthier Lineu Bravo construiu para ele em 2016.

 

Sobre Lineu Bravo

Lineu Bravo é luthier autodidata, apreciador de boa música. Desde cedo, desenvolveu intimidade com a madeira na marcenaria do pai. Construiu o primeiro instrumento aos 14. Desde então, seus violões, cavacos, bandolins e violas têm ido parar nas mãos de grandes músicos. Guinga, Zélia Duncan, Marcus Tardelli, Marco Pereira, João Bosco, Yamandú Costa, Chico Buarque, Ulisses Rocha, Hamilton de Holanda, Ângela Muner, Rogério Caetano, Mauricio Carrilho, Luciana Rabello, João Lyra, Mauricio Marques, Edson Lopes, Alessandro Penezzi, Juarez Moreira, Fernando César, Jayme Vignoli, Flávio Apro, Giacomo Bartoloni, Swami Jr, Rosa Passos, Kiko Loureiro, Arthur Nestrovsky, Ana Carolina, Zé Paulo Becker, Douglas Lora e todos os integrantes do Quarteto Maogani são alguns deles.

Informações

A oficina de Lineu Bravo Luthier está localizada em Taubaté, na região do Vale do Paraíba, a 130 quilômetros de São Paulo.

Informações: lineu@lineubravo.com.br

 

Lineu Bravo participa de bate papo com Oscar Ferreira, sócio da Strings

A conversa ocorreu no YouTube, em um Projeto de Oscar chamado: “A Criatividade Brasileira na Luteria”

67699013_1467553253385029_6104682389286420480_n

O luthier Lineu Bravo participou de um bate papo com Oscar Ferreira, músico e sócio da Strings, um dos principais fornecedores de madeiras e acessórios para luteria no Brasil.

A conversa ocorreu no YouTube, em um Projeto de Oscar chamado: “A Criatividade Brasileira na Luteria”.

Lineu contou a Oscar Ferreira um pouco de sua trajetória profissional e deu um conselho para jovens luthiers: “Procure desenvolver a sua intimidade com a madeira, pegue uma planta consagrada de violão e faça alguma coisa parecida com aquilo da melhor maneira que puder e depois vai procurando seu caminho”.

Lineu contou também que tornou-se um luthier profissional aos 36 anos e destacou que na técnica desenvolvida para a afinação de seus instrumentos  o ouvido é o principal e conta que se considera um profissional intuitivo.

Veja o vídeo completo:

http://bit.ly/lineucriatividade


Sobre a Strings

A Strings iniciou suas atividades em 1992, sob o comando do músico Oscar Ferreira. Sua intensa atividade musical na Europa, especialmente na Alemanha, possibilitou o contato com grandes luthiers, importantes fornecedores de madeiras e acessórios para instrumentos musicais, destacando-se empresas como Schaller, Gleissner, Hannabach, Pyramid, Pirastro, Shadow, Rubner, Teller e Zeeh, que o incentivaram a iniciar a importação de seus produtos para o Brasil.

Atualmente, a Strings tem atuação em todo o Brasil, com uma linha de alta qualidade de madeiras e acessórios para violão, cavaquinho, bandolim, guitarra e baixo elétricos, viola caipira, violino, viola, violoncelo, contrabaixo, alaúde, vihuela, violino e cello barroco e gamba.

 

Sobre Lineu Bravo

Lineu Bravo é luthier autodidata, apreciador de boa música. Desde cedo, desenvolveu intimidade com a madeira na marcenaria do pai. Construiu o primeiro instrumento aos 14. Desde então, seus violões, cavacos, bandolins e violas têm ido parar nas mãos de grandes músicos. Guinga, Zélia Duncan, Marcus Tardelli, Marco Pereira, João Bosco, Yamandú Costa, Chico Buarque, Ulisses Rocha, Hamilton de Holanda, Ângela Muner, Rogério Caetano, Mauricio Carrilho, Luciana Rabello, João Lyra, Mauricio Marques, Edson Lopes, Alessandro Penezzi, Juarez Moreira, Fernando César, Jayme Vignoli, Flávio Apro, Giacomo Bartoloni, Swami Jr, Rosa Passos, Ana Carolina, Zé Paulo Becker, Douglas Lora e todos os integrantes do Quarteto Maogani são alguns deles.

Informações

A oficina de Lineu Bravo Luthier está localizada em Taubaté, na região do Vale do Paraíba, a 130 quilômetros de São Paulo.

Informações: lineu@lineubravo.com.br