Português

Samuca Muniz e o violão Lineu Bravo

 

 

 

 

 

 

 

 

Samuca adquiriu seu violão Lineu Bravo no início do ano de 2011, e descobriu o trabalho do luthier através de um vídeo

2

 

Samuca Muniz, natural de São Sebastião-SP, é violonista, arranjador, compositor e mantenedor do canal do YouTube “Um Violão em apuros”. Sobre o instrumento construído pelo luthier Lineu Bravo, ele diz: “Esse violão meu quem fez foi o luthier Lineu Bravo, é uma obra de arte!”.

 

Samuca Diniz e o violão Lineu Bravo

 

Samuca9

Samuca adquiriu seu violão Lineu Bravo no início do ano de 2011, e descobriu o trabalho do luthier através de um vídeo que assistiu do amigo Rogério Caetano, no YouTube. “Pesquisei mais sobre o trabalho do Lineu, e acabei descobrindo que outros grandes músicos que eu admirava, tocavam em instrumentos feitos por ele como, por exemplo, Marco Pereira.”, conta Samuca.

O músico conta um episódio inusitado que aconteceu pouco tempo depois de ter adquirido o violão 7 cordas Lineu Bravo: “Aconteceu uma cena inusitada (pra época): no Festival de Música de Londrina do mesmo ano, eu e outros 2 violonistas (Lucas Telles e Léo Eymard) compartilhávamos da experiência de unirmos 3 violões do mesmo luthier. A sonoridade entre ambos era impecavelmente parecida, com aquele médio-grave reforçado, e com o som bem aveludado”.

Depoimento de Samuca Diniz sobre seu violão Lineu Bravo

 A primeira coisa que você nota quando vê alguém com um violão Lineu Bravo é a beleza do instrumento: o capricho, acabamento e coloração das madeiras. Mesmo após tantos anos de uso, quando eu abro o case do violão, ainda consigo sentir o aroma de sua madeira.

A característica que eu mais aprecio no som dos violões Lineu Bravo é o timbre aveludado e equilibrado, com uma perfeita definição das notas. Ele é excelente tanto para momentos solos quanto para acompanhamento. Constantemente sou questionado sobre o som do meu violão (se uso plugins, que tipo de microfonação utilizo, etc.). Quando isso acontece, sempre respondo: é apenas o timbre do meu violão.

Por estar constantemente gravando no meu canal do Youtube “Samuca Muniz”, aulas online ou em estúdios, vejo uma facilidade no momento da captação do som, pois não é necessário fazer praticamente nenhum grande ajuste na sonoridade dele.  Além disso, percebo diferença com relação aos outros instrumentos com os quais já gravei. O som do Lineu Bravo é sempre claro, preciso e equilibrado. É como se estivesse gravando o som de uma linda voz”.

Sobre a carreira de Samuca Muniz

Músico profissional desde 1999, já tocou com diversos nomes da música brasileira como, por exemplo, Humberto Araújo, Joel Nascimento, Jayme Vignoli, Nelson Sargento, Marquinhos Satan, Marquinhos PQD, Carla Casarim, Joyce Cândido (entre outros), além de grupos de Londrina (PR) e região, onde reside atualmente. Participou da gravação de cd´s de grupos de Música Brasileira. Foi colunista/colaborador sobre 7 cordas na revista digital “Violão +” por cerca de um ano e meio. Atualmente tem trabalhado com aulas online, além de ser o mantenedor do canal “Samuca Muniz” – antigo “Um violão em Apuros” (YouTube), com material para violão 6 e 7 cordas.

 

Sobre Lineu Bravo

Lineu Bravo é luthier autodidata, apreciador de boa música. Desde cedo, desenvolveu intimidade com a madeira na marcenaria do pai. Construiu o primeiro instrumento aos 14. Desde então, seus violões, cavacos, bandolins e violas têm ido parar nas mãos de grandes músicos. Guinga, Zélia Duncan, Marcus Tardelli, Marco Pereira, João Bosco, Yamandú Costa, Chico Buarque, Ulisses Rocha, Hamilton de Holanda, Ângela Muner, Rogério Caetano, Mauricio Carrilho, Luciana Rabello, João Lyra, Mauricio Marques, Edson Lopes, Alessandro Penezzi, Juarez Moreira, Fernando César, Jayme Vignoli, Flávio Apro, Giacomo Bartoloni, Swami Jr, Rosa Passos, Ana Carolina, Zé Paulo Becker, Douglas Lora e todos os integrantes do Quarteto Maogani são alguns deles.

Informações

A oficina de Lineu Bravo Luthier está localizada em Taubaté, na região do Vale do Paraíba, a 130 quilômetros de São Paulo.

Informações: lineu@lineubravo.com.br

No Dia do Músico, comemorado em 22/11, confira algumas curiosidades sobre o poder da música

A música tem poderes incontestáveis tanto na vida das pessoas, como na cultura de uma nação

77390165_2724257197641685_2925993246888820736_o

A música tem poderes incontestáveis tanto na vida das pessoas, como na cultura de uma nação. Por meio dela, nos expressamos, entendemos, contestamos e divertimos.

Pesquisadores estudam esses efeitos e comprovam que a música pode mudar nosso humor, inteligência, desempenho físico e até a memória.

 

Confira algumas curiosidades sobre o poder da música:

 

Efeitos no desempenho

Pesquisadores da Universidade Chemnitz e da Universidade de Erfurt, na Alemanha, comprovaram que, durante a leitura, ouvir música de fundo pode afetar a compreensão. Na prática de atividades físicas e em reações emocionais, os impactos da música são muito positivos.

 

 

Efeitos no comportamento

Ao testar os efeitos da música no comportamento das pessoas e, especialmente, em suas condutas sociais positivas, pesquisadores da Universidade de Sussex, no Reino Unido, descobriram que ouvir músicas com letras socialmente positivas aumentaram a disposição de ajuda nos ouvintes.

 

Aumento da inteligência

Em um experimento com 144 crianças, pesquisadores da Universidade de Toronto, no Canadá, concluíram que as crianças que participaram de grupos com aulas de música exibiram aumentos de QI e melhor desempenho acadêmico. Outras pesquisas também mostraram que o cérebro de músicos é desenvolvido de tal forma que os deixam mais alertas e dispostos a aprender.

 

 

Relaxamento

Uma pesquisa da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, testou os efeitos da música clássica, pop e jazz no relaxamento das pessoas depois de eventos estressantes. Os resultados mostraram que ouvir música pop e jazz tem o mesmo efeito restaurativo que o silêncio. Já a música clássica fez efeitos muito mais rápidos e a pressão sanguínea pode cair para os níveis normais em tempo muito menor.

 

Confira outras curiosidades, aqui: http://bit.ly/curiosidadesmusica

 

 

 

Sobre Lineu Bravo

Lineu Bravo é luthier autodidata, apreciador de boa música. Desde cedo, desenvolveu intimidade com a madeira na marcenaria do pai. Construiu o primeiro instrumento aos 14. Desde então, seus violões, cavacos, bandolins e violas têm ido parar nas mãos de grandes músicos. Guinga, Zélia Duncan, Marcus Tardelli, Marco Pereira, João Bosco, Yamandú Costa, Chico Buarque, Ulisses Rocha, Hamilton de Holanda, Ângela Muner, Rogério Caetano, Mauricio Carrilho, Luciana Rabello, João Lyra, Mauricio Marques, Edson Lopes, Alessandro Penezzi, Juarez Moreira, Fernando César, Jayme Vignoli, Flávio Apro, Giacomo Bartoloni, Swami Jr, Rosa Passos, Ana Carolina, Zé Paulo Becker, Douglas Lora e todos os integrantes do Quarteto Maogani são alguns deles.

Informações

A oficina de Lineu Bravo Luthier está localizada em Taubaté, na região do Vale do Paraíba, a 130 quilômetros de São Paulo.

Informações: lineu@lineubravo.com.br

 

 

 

 

Maurício Marques e o violão Lineu Bravo

O músico Maurício Marques, que atua no cenário da Música Regional do Rio Grande do Sul, também é compositor, professor de música, arranjador e instrumentista e integrou o Quarteto Maogani entre 2005 e 2013. Atualmente, trabalha na produção de composições para violão de 8 cordas e apresenta-se em formato solo e em grupo.

 

 

 

Sobre a carreira de Maurício Marques

 

Maurício Marques é compositor, professor de música, arranjador e instrumentista, com foco em música gaúcha e brasileira.

 

Vencedor de inúmeros festivais de música, já integrou o Quarteto Maogani entre 2005 e 2013 e atua no cenário da música regional do Rio Grande do Sul ao lado de Renato Borghetti, Luiz Carlos Borges, Celau Moreyra entre outros, desenvolvendo repertório voltado ao violão 8 cordas.

Maurício apresenta-se em formato solo e em grupo, tendo por base a música brasileira, com muita técnica e arranjos elaborados.

 

Saiba mais em: www.mauriciomarques.com.br

 

Sobre o Quarteto Maogani

 

O Quarteto Maogani destaca-se por sua produção fonográfica de alta qualidade e presença constante em concertos no Brasil e no exterior. Criado em 1995, o grupo explora formação instrumental pouco usual, unindo a delicadeza e os cuidados da música de câmera ao vigor e à espontaneidade da música popular.

 

 

 

 

Formação:

Maurício Marques – violão Requinto e violão de 8 Cordas

Carlos Chaves – violão de 7 cordas

Marcos Alves – violão de 6 cordas

Paulo Aragão – violão de 8 cordas

 

Sobre Lineu Bravo

Lineu Bravo é luthier autodidata, apreciador de boa música. Desde cedo, desenvolveu intimidade com a madeira na marcenaria do pai. Construiu o primeiro instrumento aos 14. Desde então, seus violões, cavacos, bandolins e violas têm ido parar nas mãos de grandes músicos. Guinga, Zélia Duncan, Marcus Tardelli, Marco Pereira, João Bosco, Yamandú Costa, Chico Buarque, Ulisses Rocha, Hamilton de Holanda, Ângela Muner, Rogério Caetano, Mauricio Carrilho, Luciana Rabello, João Lyra, Mauricio Marques, Edson Lopes, Alessandro Penezzi, Juarez Moreira, Fernando César, Jayme Vignoli, Flávio Apro, Giacomo Bartoloni, Swami Jr, Rosa Passos, Ana Carolina, Zé Paulo Becker, Douglas Lora e todos os integrantes do Quarteto Maogani são alguns deles.

Informações

A oficina de Lineu Bravo Luthier está localizada em Taubaté, na região do Vale do Paraíba, a 130 quilômetros de São Paulo.

Informações: lineu@lineubravo.com.br

 

Violonista cearense Rebeca Camara e o violão Lineu Bravo

Referência entre os musicistas de Fortaleza, a talentosa Rebeca apaixonou-se por música na adolescência

IMG_2054

A violonista cearense Rebeca Câmara, que também é cantora e interpreta canções de Gilberto Gil, Caetano Veloso e Tom Jobim, também toca um violão Lineu Bravo. 6 cordas em Cedro, adquirido em 2009.

 

Rebeca já participou dos grupos Belle Trio (vocal e instrumental), Gargalhada Choro e Banda (instrumental), João e Marias (vocal e instrumental) e Filhas da Mãe (vocal). A artista é reconhecida como violinista e também cantora que interpreta canções de Gilberto Gil, Caetano Veloso, Tom Jobim e canções de sua autoria.

 

A paixão pela música veio cedo na vida de Rebeca. Aos 15 anos, passou a frequentar aulas particulares de violão, instrumento que a acompanha até hoje. Ela é referência entre os musicistas de Fortaleza.

 

Fontes: Siara News

 

Sobre Lineu Bravo

Lineu Bravo é luthier autodidata, apreciador de boa música. Desde cedo, desenvolveu intimidade com a madeira na marcenaria do pai. Construiu o primeiro instrumento aos 14. Desde então, seus violões, cavacos, bandolins e violas têm ido parar nas mãos de grandes músicos. Guinga, Zélia Duncan, Marcus Tardelli, Marco Pereira, João Bosco, Yamandú Costa, Chico Buarque, Ulisses Rocha, Hamilton de Holanda, Ângela Muner, Rogério Caetano, Mauricio Carrilho, Luciana Rabello, João Lyra, Mauricio Marques, Edson Lopes, Alessandro Penezzi, Juarez Moreira, Fernando César, Jayme Vignoli, Flávio Apro, Giacomo Bartoloni, Swami Jr, Rosa Passos, Ana Carolina, Zé Paulo Becker, Douglas Lora e todos os integrantes do Quarteto Maogani são alguns deles.

Informações

A oficina de Lineu Bravo Luthier está localizada em Taubaté, na região do Vale do Paraíba, a 130 quilômetros de São Paulo.

Informações: lineu@lineubravo.com.br