Português

Músico, cantor e compositor natural de Belém adquiriu em julho um instrumento construído pelo luthier Lineu Bravo

Luthier Lineu Bravo entrega a encomenda do mais novo cliente, o músico Henry Burnett

Luthier Lineu Bravo entrega a encomenda do mais novo cliente, o músico Henry Burnett

Lineu Bravo foi o luthier escolhido para construir o mais novo instrumento do cantor, compositor e professor Henry Burnett, natural de Belém e radicado em São José dos Campos.

Henry, que toca música brasileira e lança músicas através do selo “Mudiando Music”, é graduado em Filosofia pela UFPA, Mestre e Doutor em Filosofia pela UNICAMP e professor de Filosofia da UNIFESP.

Em sua carreira, já gravou em parceria com a cantora portenha Florencia Bernales, com os poetas Edson Coelho, Paulo Vieira e Julio Luchesi. Já fez shows em todo Brasil e também em Buenos Aires e Berlim.  Seu mais novo álbum chama-se “Belém Incidental” e foi lançado no SESC Boulevard, em 2017.
Burnett também musicou poemas de vários autores para projetos diversos: poemas de Friedrich Nietzsche, Fernando Pessoa e Hilda Hilst.
Além de seu trabalho como cantor e compositor, Henry Burnett é professor de filosofia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), onde desenvolve projetos de pesquisa sobre música contemporânea e sobre a canção popular. Publicou diversos artigos a partir do cruzamento das obras de Friedrich Nietzsche, Theodor Adorno, Mário de Andrade, entre outros.
É autor do livro Cinco prefácios para cinco livros escritos: uma autobiografia filosófica de Nietzsche (Tessitura Editora, Belo Horizonte, 2008), da coletânea de ensaios sobre filosofia e música, Nietzsche, Adorno e um pouquinho de Brasil (Editora Unifesp, 2011) e do volume da Coleção Leituras Filosóficas da Editora Loyola Para ler O Nascimento da Tragédia de Nietzsche (2012).

 

Henry Burnett e o violão Lineu Bravo

 

Henry Burnett adquiriu recentemente um violão construído pelo luthier Lineu Bravo especialmente para ele. O instrumento é Violão seis cordas de náilon com tampo em Cedro Canadense, fundo em Jacarandá Indiano e escala elevada em Ébano.

O músico conta como conheceu o trabalho de Lineu Bravo: “A decisão pelo Lineu foi fruto de muitos anos de pesquisa. Depois que decidi que gostaria de experimentar um violão de luthier, iniciei uma pesquisa que começou pelo livro ‘Violões do Brasil’, projeto da Myriam Taubkin, que eu já possuía. A lista de luthiers no fim do livro é muito longa, então busquei referências de som, avaliações de violonistas, até que vi alguns vídeos do mesmo projeto do livro na internet; cheguei então ao violão assistindo o Guinga tocar nele. Depois veio a história do Chico Buarque com o violão, o Arthur Nestrovski gravando com ele, o Marco Pereira arrebentando e outros tantos que assisti obsessivamente. Quanto mais ouvia, mais o som do violão do Lineu parecia o mais adequado ao meu trabalho, porque soava ao mesmo tempo profundamente clássico e tremendamente brasileiro.”.

Sobre Lineu Bravo

Lineu Bravo é luthier autodidata, apreciador de boa música e morador da cidade de Taubaté, São Paulo. Desde cedo desenvolveu intimidade com a madeira na marcenaria do pai. Construiu o primeiro instrumento aos 14. Desde então, seus violões, cavacos, bandolins e violas têm ido parar nas mãos de grandes músicos. Guinga, Marcus Tardelli, Marco Pereira, João Bosco, Yamandú Costa, Chico Buarque, Ulisses Rocha, Hamilton de Holanda, Ângela Muner, Rogério Caetano, Maurício Carrilho, Luciana Rabello, João Lyra, Maurício Marques, Edson Lopes, Alessandro Penezzi, Juarez Moreira, Fernando César, Jayme Vignoli, Flávio Apro, Giacomo Bartoloni, Swami Jr, Rosa Passos, Ana Carolina, Zé Paulo Becker, Douglas Lora e todos os integrantes do Quarteto Maogani são alguns deles.

- Facebook do músico Henry Burnett

- Instagram do músico

- Confira novidades no canal do Youtube do músico 

- SoundCloud

- Mais novidades no Facebook do Lineu Bravo Luthier

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>